Novo

Museus: De Natal para o Mundo























Por Ana Flávia de Melo

No dia 18 de maio foi comemorado internacionalmente o Dia Mundial do Museu. A data foi instituída pelo Comitê Internacional de Museus (ICOM) com cunho de lembrar a importância cultural e histórica dos museus para a sociedade. O Sistema Brasileiro de Museus define os museus como: “Casas que guardam e apresentam sonhos, sentimentos, pensamento e intuições que ganham corpo através de imagens, cores, sons e formas. São pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos, tempos, culturas e pessoas diferentes”.


É fato a importância social que os museus possuem nos dias de hoje. É neles que conectamos o presente com o passado e com o futuro, que presenciamos artefatos importantíssimos de sociedades passadas e projetamos ideias para o futuro. A documentação trabalhada por eles é usada pelas mais diversas áreas – científicas, tecnológicas, humanas, matemáticas. A história da humanidade está guardada e preservada por causa deles. “Os museus provam a mutabilidade e adaptação do ser humano, além de manter viva a história e arte através do tempo”, descreve Letícia Lima, uma de nossas entrevistadas.

Muito embora esse fator seja de conhecimento geral, há pouca valorização dos museus. A procura, de forma generalizada, é feita com alta frequência por turistas, porém baixa em relação à população local. As políticas públicas voltadas para a cultura são pouco financiadas e não há incentivo suficiente para visitações e as manutenções necessárias. Por causa disso, muitos museus fecham e são entregues ao descaso.

Num âmbito mais restrito à Cidade de Natal, a procura pelos museus é pouca, assim como o conhecimento sobre eles. O Museu Câmara Cascudo, o maior e mais conhecido da cidade, é desvalorizado e esquecido. Beatriz Silva, que trabalha como bolsista na recepção do museu, afirma que muitas vezes as pessoas passam pelo prédio e não sabem que se trata de um museu, quando muito vão enganados achando que é o Memorial Câmara Cascudo.

Ainda segundo Beatriz, a população tende a valorizar aquilo que é de fora, seja de outro estado ou de outro país. A forma como a cultura brasileira é absorvida pela sociedade é uma grande prova disso. Tudo que é europeu ou norte-americano, por exemplo, tende a ser supervalorizado e aclamado pela população local. Dos doze jovens entrevistados pela equipe do GRUPERT, todos expressaram seu desejo de conhecer um museu no exterior, mesmo que quando perguntados sobre algum conhecido respondessem um nacional. E deles, apenas um dos entrevistados citou um museu do nosso estado.

Ainda que boa parte do ensino sobre cultura e a valorização venha da educação escolar e doméstica, não podemos tirar a responsabilidade do incentivo necessário pelo governo. O presidente interino Michel Temer, ao tomar posse do cargo, anunciou a destituição do Ministério da Cultura, que seria posto como uma secretaria dentro do Ministério da Educação. Essa decisão foi combatida e protestada por estudantes e artistas, o que fez o presidente revogar sua decisão. No dia 24 de maio, Temer deu posse ao novo Ministro da Cultura, o ex-secretário municipal da cultura do Rio de Janeiro, Marcelo Calero.

Ainda não sabemos como Calero irá trabalhar com a questão da cultura no Brasil, que engloba não só museus como também prédios históricos, manifestações regionais etc., mas em seu discurso de posse no Plenário ele disse que trabalhará de forma “republicana”. “O partido da cultura é a cultura, não qualquer outro. Estaremos sujeitos àquilo que a sociedade demanda nunca a serviço de um projeto de poder”, afirmou.

O que devemos ter em mente, acima de qualquer questão política, é que a cultura é a parte mais importante do ser humano. É graças a ela que somos o que somos, e nos organizamos da forma como nos organizamos. E cultura é história, e essa história está presente de forma viva e explícita nos museus. Não podemos deixá-la de lado. Nós fazemos parte dela – e ela faz parte de nós.

Então, como parte do nosso trabalho a serviço da cidadania, o Caderno de Pauta disponibiliza uma lista com o endereço dos principais museus e espaços de conservação cultural aqui da cidade do Natal. Se você não conhece ainda, visite! Sempre é tempo de conhecer mais sobre a cultura do nosso Estado. 

Barreira do Inferno - Informações: (84) 3643.1348 / Endereço: na rota do sol, estrada para Pirangi do Sul. / Horário de funcionamento: segunda a sexta: 09h30 às 11h; segunda a sexta: 13h às 14h. / Valor de entrada: gratuito.
Casa de Câmara Cascudo - Endereço: Avenida Câmara Cascudo, 377, Cidade Alta / Horário de funcionamento: terça a sábado: 09h às 17h. / Valor da entrada: R$ 3 (estudantes pagam meia).
Espaço Cultural Palácio do Potengi (Pinacoteca) - Endereço: Praça Sete de Setembro, Cidade Alta. / Horário de funcionamento: terça a sábado, das 09h às 16h. / Valor da entrada: gratuito.

Forte dos Reis Magos - Endereço: Praia do Forte. / Horário de visitação: Diariamente – 8:00 – 16:30h / Valor da entrada: R$ 3,00 (inteira), sendo 1,50 ( estudante)
Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte - Tel: 3221-1228 / Endereço: Rua Conceição, 622 Cidade Alta, (Praça André de Albuquerque). / Horário de funcionamento: / Valor da entrada: gratuito.
Memorial Câmara Cascudo - Informações: (84) 3211.8404. / Endereço: Praça André de Albuquerque, Cidade Alta. / Horário de funcionamento: 08 às 17h. / Valor da entrada: gratuito
Museu Câmara Cascudo - Informações: (84) 3215.4192. Para visitar o Museu, é necessário agendar no telefone: 84-3342-4903. / Endereço: Avenida Hermes da Fonseca, Tirol. / Horário de funcionamento: terças às sextas, 09h às 17h. / Valor da entrada: gratuito.

Museu de Arte Sacra - Tel: (84)3211-4236 / Endereço: Rua Santo Antonio, 698, Cidade Alta. / Visitação: Terça-feira a sábado, das 9h às 17h e domingo, das 11h às 17h. / Valor da entrada: gratuito. 

Museu do Brinquedo Popular - Agendamento através do telefone 4005-0967. / Endereço: Avenida Rio Branco, Cidade Alta, – localizado no interior do IFRN Cidade Alta. / Horário de funcionamento: segunda à sexta, 07h30 às 21h. Aos sábados, a visita ocorre a partir das 07h30 às 16h. / Valor da entrada: gratuito.

Museu da Cultura Popular - Tel: (84) 3232-8149 / Endereço: Prédio da antiga Rodoviária de Natal, Praça Augusto Severo, Ribeira / Visitação: diariamente: 9h10 às 16h. / Valor da entrada: Gratuito

Solar João Galvão de Medeiros - Telefone: 3212-1904. / Endereço: Avenida Câmara Cascudo, Cidade Alta. / Horário de funcionamento: Segunda à sexta: 8h às 18h. / Valor da entrada: gratuito.

Museu De Minérios RN   Endereço: Av. Sen. Salgado Filho - Candelária, Natal – RN / Horário de Funcionamento: Segunda à Sexta: 8h às 17h
Memorial Natal/Centro de Pesquisa e Sala de exposição Mata Atlântica – Telefone: Biblioteca/Agendamento: 3232-3207/8786-2791. / Endereço: Avenida Omar O’Grady, s/n – Candelária, Natal/RN (Parque Natural Municipal da Cidade Dom Nivaldo Monte) /  Horário de Funcionamento: Terça à Domingo: 8h às 17h / Valor de entrada Gratuito
Para mais informações sobre dicas de turismo em Natal, acesse o linkhttps://vivernatal.wordpress.com/

 Fontes: http://www.smartkids.com.br/data/18-maio-dia-mundial-dos-museus
http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/05/apos-polemica-com-artistas-temer-da-posse-novo-ministro-da-cultura.html


Nenhum comentário