Novo

Champions League: influências que vão além do campo

Um dos maiores campeonatos de futebol do mundo vem ganhando os corações dos brasileiros 


Por Anthony Matteus, Maria Luiza Guimarães, Milka Moura, Tatiane Alves 


Foto: ESPN - Brasil 

A maior competição de clubes de futebol do mundo, a Champions League, é organizada pela UEFA (União das Federações Europeias de Futebol​)​ ​e sedia seus jogos na Europa. Amplamente assistido em todo o mundo, o torneio cativa grande número de fãs no Brasil, onde teve 20,5 pontos de audiência na final de 2015, transmitida pela Globo, segundo dados do Ibope. A​lém de ser um campeonato de futebol que tende a influenciar socialmente seus torcedores a acompanharem todos os jogos, também ganha liderança nos pólos econômicos em todo o mundo. 

Classificam-se para disputar a Champions, times de cada país da Europa, filiados à UEFA. A quantidade de vagas ofertadas a cada país depende do desempenho dos clubes nos últimos 5 anos, os países com melhores desempenhos recebem mais vagas, segundo regulamento da competição. Para o campeonato espanhol, de onde são os mais recentes campeões do torneio, Barcelona e Real Madrid, são destinados vagas para os quatro primeiros colocados, enquanto para a liga nacional da Polônia, por exemplo, apenas uma, para o campeão. 

O atual modelo da Champions League, geralmente, tem duração de dez meses; dividida em três fases principais: fase preliminar, fase de grupos e fase eliminatória. Na fase preliminar, estão presentes clubes dos campeonatos menos expressivos e os piores classificados das grandes ligas nacionais. A fase de grupos, contém 32 equipes, divididos em 8 grupos, com 4 times em cada. É composta pelos melhores classificados das grandes ligas, clubes advindos da fase preliminar e o atual campeão da Champions. Se classificam os dois melhores times em desempenhos de cada grupo para a fase eliminatória, onde duelam entre si em dois jogos. O time com o melhor placar agregado avança, até a final, disputada em partida única. 

Em Natal, um dos pontos de encontro preferidos para assistir os jogos são os bares; sendo o Bar de Mãe, popular entre os universitários da UFRN e mais frequentados em dias de jogos. “​Esses campeonatos de fora dão mais gente que os estaduais. Nos dias dos jogos do Barcelona e Real Madrid dá muito mais gente. Ontem​ ​[2 de maio]​ ​teve jogo do Real Madrid e o bar estava lotado!​”, relata Maria dos Prazeres Oliveira dos Santos, 67, proprietária do bar. 

Segundo uma pesquisa feita pelo Globo Esporte, a disputa tem ganhado cada vez mais importância entre os brasileiros, principalmente nos dias de partida do Barcelona. O time em que o jogador brasileiro Neymar Jr. que atua como atacante, lidera o ranking de preferência no Brasil. Elton Fonseca, 26, estudante de arquitetura, defende que a presença do atleta no clube influencia muito na audiência dos jogos “Quando você liga a tevê para assistir o jogo do Barcelona e o Neymar não tá jogando fica um negócio vazio. Pra mim perdia a graça assistir o jogo, eu queria ver ele jogando”. 

Foto: Maria Luiza Guimarães 
A popularidade da competição a torna fonte de influência social e econômica para seu público, desempenhando um importante papel não só na mídia como também em produtos comerciais (itens licenciados dos patrocinadores oficiais), o que faz com que a Champions ganhe espaço em meios empresariais com suas peças, tais como camisetas, tênis, bonés, chaveiros, bottons, adesivos, cadernos, bolsas, etc. O campeonato faz sucesso desde​ ​em lojas esportivas oficiais a camelôs de artigos em gerais, tornando o acesso mais fácil aos consumidores. Wesley Araújo, estudante de direito, 19, ressalta “​O preço baixo e a praticidade são os principais fatores em camelôs.​ ​Por mais que o produto tenha uma qualidade diferenciada​,​ ​o preço ainda é muito alto em lojas oficiais . Enquanto uma camisa do Bayern de Munique é, tipo, R$ 250 na loja oficial, no camelô são duas por R$ 50”. 

Entretanto, essa preferência pode ser bem relativa. Alguns consumidores acham arriscado comprar em lojas não licenciadas. O estudante de Jornalismo Ícaro Carvalho, 20, ressalta “Existe a facilidade de comprar os produtos nos camelôs, mas, diria que cerca de 70% dos casos, eles não são de boa qualidade, comparados aos originais”. O jovem afirma que a vantagem de comprar os produtos, principalmente camisas dos times, em lojas oficiais é a de o consumidor ter a oportunidade de personalizá-las, seja com seu próprio nome ou com o nome do jogador que deseja. 

Do ponto de vista dos comerciantes, o resultado que a temporada dos jogos traz é satisfatório. Gilberto de Souza, 53, vende produtos relacionados a Champions há quatro anos e diz que a procura por eles aumentou devido à expansão de informações sobre a Liga, “​Melhorou com certeza o meu comércio; a gente vende mais em comparação aos times brasileiros. Quando começa o campeonato lá no exterior a gente vende bastante. Também vendemos dos campeonatos daqui, mas não é tão divulgado quanto esse não”​, ​afirma. 

Foto: Champions League news 

Neste ano, a final da Champions, segundo o site oficial​ ​da​ ​UEFA, ocorrerá no dia 3 de junho, às 15h45 (horário de Brasília), no Estádio Nacional de Gales, Cardiff. Os times finalistas são Juventus, da Itália, e Real Madrid, da Espanha. A transmissão da final também poderá ser assistida em salas de cinema de todo o Brasil, pelas redes Cinemark e Cinépolis, que exibirão o jogo ao vivo. Em Natal os torcedores poderão assistir no Cinemark - Shopping Midway Mall, e no Cinépolis - Natal Shopping. Os ingressos já estão sendo vendidos.

8 comentários: