Novo

A criança por trás do garoto prodígio

Com apenas oito anos, João Paulo já tem uma carreira de gente grande

Por Germano Freitas



Crianças são geralmente lembradas por suas brincadeiras, energia e felicidade natural. No caso de João Paulo Guerra Barrera, JP, não é tão diferente. Famoso por escrever um livro aos 5 anos e ser o mais jovem a ganhar, na categoria Mérito Literário, o 2017 NASA Ames Space Settlement Contest. Hoje, o garoto prodígio já produziu mais um livro, continuando seu primeiro, e um jogo, que junto à primeira obra foi seu ingresso no concurso da agência espacial americana.

Em uma conversa com JP e seus pais, Ricardo e Margarida Barrera, pude conhecer mais a criança e ouvir um pouco da história deles, como foi a experiência de viver essa fama não esperada. Tudo começa com uma simples interação de pais e filho, João iniciara uma narrativa falada para os pais, que logo passaram a incentivá-lo a escrever o conto.

Para João Paulo e seus pais, esse processo foi natural, era uma brincadeira que tomou rumos maiores e inesperados. O processo de tradução do livro, por exemplo, era uma forma de fazer o garoto usar mais seu inglês, que vinha aprendendo por morar nos Estados Unidos - também praticando com desenhos no YouTube. 

Os pais ainda contam a história mostrando a simplicidade do que queriam, “foi uma coisa que ficou legal e queríamos guardá-la em um livro”, conta Ricardo. É interessante ver como as coisas seguiram para eles, mesmo sem muito planejamento. Os dois fazem o trabalho de agenciamento do filho, mesmo não tendo experiência prévia. É importante notar que fazem isso pelo controle da vida escolar do menino, não o deixam perder avaliações e demais coisas importantes na escola.

Apesar de participar de muitos eventos, como a Campus Party Natal, e receber premiações, como o Brasileiro do Ano 2017 pela Isto É, os pais tomam conta para que JP não fique atrasado com a escola. “Ele repõem aulas com atividades extras e não falta as provas”, diz o pai. João gosta muito de estudar, enfatiza isso na conversa, suas matérias favoritas no colégio são Matemática, Religião e Ciências. Além disso, o jovem promissor gosta de tratar do assunto da reciclagem e sua missão, “reciclar, proteger e desenvolver a STEAM (sigla em Inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática)”.

João Paulo brincava com boneco Sansão em meio ao espaço de imprensa antes da sua palestra. (Foto: Anna Vale)
Como criança que é, JP gosta de falar, mas por já ter tido um dia logo, “hoje ele acordou cedo e já fez oito entrevistas”, conta Margarida, ele estava cansado e falando pouco. Ele não tem mais uma vida de criança normal, como diz sua mãe, mas seus pais cuidam para que o filho tenha o necessário para estar bem. “Como a palestra dele amanhã é mais tarde [20h30], vamos deixá-lo dormir mais e ficar bem descansado”, relata sua mãe.

Em cima do palco Feel The Future, João Paulo contou ao grande público, um dos maiores da Campus Party Natal, sobre seu livro e suas ideias, já citadas acima. É importante ver como a criança prossegue bem no palco, com um carisma natural a plateia fica atenciosa e curiosa ao que ele fala. Ao final de sua palestra, alguns espectadores tinham perguntas sobre gostos e ideias que o garoto tem. 

Ao final da palestra João Paulo respondia perguntas da platéia 
O que mais fascina em JP Barrera é ver que ele não deixou de ser criança para ser um promotor. O garoto apenas transformou a sua missão em brincadeira, tanto que ao final de sua palestra ele fez um desafio a platéia “qual a maior estrela conhecida?”. Além disso, foi perceptível sua animação ao saber que haviam simuladores para voo de asa delta e combate aéreo em caças. Também, aproveitando o ambiente da Campus Party Natal, João e Ricardo jogaram juntos um pouco de Street Fighter. 

Criança como é, João Paulo Barrera gosta de brincar com os amigos, jogar vídeo games e outras atividades de diversão. Também gosta de promover a sua missão e propagar a ideia da reciclagem. Apesar da fama como garoto prodígio ainda é uma criança com uma brincadeira de sonhar e impulsionar um futuro melhor.

Nenhum comentário