Novo

Confira o que aconteceu no dia de encerramento da Campus Party Natal

Por Ana Flávia Sanção, Germano Freitas, Marcelha Pereira, Anna Vale, Suzie Chagas e Luiz Gustavo



O último dia da Campus Party Natal foi cheio! Além das programações normais ao redor da Arena e na Open Campus, ela contou com a assinatura de um termo de compromisso entre o Instituto Campus Party, Sebrae, Prefeitura de Parnamirim e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), para a criação de quatro laboratórios da iniciativa Include em Parnamirim e Natal.

Foi ainda um dia de grandes emoções no palco Games & Creativity, graças às palestras “Duas ou três coisas importantes que o rock, o cinema e as HQs me ensinaram para ser um empreendedor” e “Super K vs Câncer - O game de Natal que salva vidas”, ocorridas às 16h e 18h, respectivamente. 

Por fim, às 21h, a Cerimônia de Encerramento da primeira edição potiguar do maior evento tecnológico do mundo trouxe ao palco principal, mais uma vez, o presidente do Instituto Campus Party, Francesco Farrugia que agradeceu novamente a todos os envolvidos na realização do evento em Natal e reforçou sua fé no potencial da cidade. O palco foi visitado ainda pelos representantes da UseTelecom, responsável pela internet na Arena, e da Três Corações, que abasteceu os campuseiros durante os quatro dias do evento e ainda presenteou vários com máquinas de café.

Durante a cerimônia, foram premiados os vencedores dos concursos e hackatons ocorridos ao longo do evento, incluindo os hackatons da Justiça Federal, Polícia Federal e Data4Good, apelidado de “Hackaton dos Hackatons”.

No início da cerimônia, foi mostrado um vídeo de agradecimento por parte da equipe Campus Party e, ao fim da mesma, foram todos chamados ao palco para receber os aplausos dos campuseiros para quem produziram o evento com tanto carinho e tirar uma foto oficial.

Toda a Equipe da Campus Party subiu ao palco principal no fim do evento. Foto: Equipe Grupert

Para fechar a noite, o diretor geral da Campus Party Brasil e mestre de cerimônias durantes os quatro dias, Tonico Novaes, introduziu ao palco a atração final: a banda Coverman e o DJ Sapão.


EMPREENDEDORISMO

Logo cedo às 10h, no palco Games & Creativity, em uma segunda edição de sua apresentação da madrugada do dia anterior na Comunidade LEP, Ravi Brito falou sobre sua experiência produzindo o evento universitário Spotted Fest e outros, em palestra intitulada “Engajamento Espontâneo - Spotted Fest”. Às 10:30h, o palco Entrepreneurship & Startups recebeu sua primeira palestra do último dia de CP Natal, “De frente com o real no Jerimum Valley”, contando com uma discussão animada entre Anderson Sales, Rafael Braz, Pablo Fernandes e o público sobre os desafios encontrados para empreender no mercado potiguar.

A palestra “Como as Comunidades podem contribuir com o Empreendedorismo contou com grande público no Palco Entrepreneurship & Startups. Foto: Equipe Grupert

No meio da tarde, às 16h, o mesmo palco recebeu os representantes de duas incubadoras e duas organizações que atuam nesse mercado, com objetivo de auxiliar e incentivar o pensamento empreendedor desde cedo. Com Lorena Sena (Empreende UnP), Anderson Cruz (Parque Tecnológico Metrópole Digital), Otthon Vagner (StartUpDays) e Luana Aladim (Liga de Empreendedorismo Potiguar, a LEP), o bate-papo intitulado “Como as Comunidades podem contribuir com o Empreendedorismo?” levantou preocupações com a falta de valorização do mercado potiguar, mesmo e principalmente, por aqueles nele inseridos e destacou que ser empreendedor é um estilo de vida que não tem idade para começar. Explicaram ainda que comunidades empreendedoras, como a que cada um deles representa, tem papel fundamental no incentivo desse tipo de comportamento por parte da sociedade em que estão inseridas.


Em sua palestra intitulada ''Um sonho chamado my path”, na mesa W3E às 10h, Joyce Camilla, usa a expressão “my path” para encontrar seu caminho na vida e se encontrar na jornada com autoestima que o jogo de tabuleiro foi desenvolvido. Camilla apresenta a ideia empreendedora que a levou a idealizar um jogo para consultas de Coaching e está ajudando psicólogos e educadores em todo o país.

A palestra dirigida por Salustiano Fagundes no Palco Games & Creativity “Duas ou três coisas importantes que o Rock, o cinema e as HQ's me ensinaram para ser um empreendedor” iniciou às 16hs. O empresário e embaixador da Campus Party compartilhou como suas referências dentro da cultura nerd dos anos 70 o influenciaram em sua jornada empreendedora e de sucesso. Também fez uma homenagem à Clarice, sua funcionária e colega de trabalho que faleceu num acidente de carro na noite de sexta-feira. 


GAMES 

Às 15h no espaço PONG, aconteceu a mesa redonda “A perspectiva dos desenvolvedores de jogos em Natal”. Comandada por Thiago Fernando, a mesa foi composta por desenvolvedores como León Walras, Robson “Talbone”, Ricardo Luiz, Thiago Carvalho, Saulo Daniel, entre outros. Eles debateram sobre suas carreiras e experiências, desde o início das suas primeiras produções até os dias atuais. Comentaram sobre questões financeiras para produzir jogos no Rio Grande do Norte, discutiram sobre a importância do PONG e traçaram perspectivas para o futuro de suas produções.

Durante à tarde, o espaço Free Play acumulou diversos campuseiros que acompanharam a final do campeonato de Counter Strike. Simultaneamente, no espaço da GGCON aconteceu o campeonato de Dragon Ball Fighter Z, além dos cosplayers que também marcaram presença no último dia do evento. 

Campeonato de CS Go no espaço Free Play. Foto: Equipe Grupert

Um dos destaques do palco Games & Creativity foi a palestra “Super K vc Câncer - O game de Natal que salva vidas”, de Paulo Paiva. Paulo conta como desenvolveu o game que está salvando a vida de crianças com câncer na cidade de Mossoró. No jogo, foi desenvolvido o primeiro super herói negro, careca e com câncer do mundo. Ele tem a função de desestressar as crianças na hora da quimioterapia e com isso fazer com que elas sejam mais receptivas ao tratamento agressivo. Todo dinheiro arrecadado com o game é doado para uma instituição beneficente para a construção de um pronto socorro para crianças com câncer, o primeiro do mundo.


TECNOLOGIA

O último dia de atividades foi cheio na tecnologia, com destaque para “Projeto Sirius”, um acelerador de partículas sendo construído em Campinas-SP com tecnologia e investimento nacional. A expectativa é que quando concluído, o equipamento seja um dos mais avançados no mundo. O outro destaque do dia foi “Projeto de Cabo Submarino Brasil-Europa” explicando a recente interligação e como ela foi feita, as razões e benefícios por trás disso, além das especificações técnicas.

As palestras do palco Coders & Makers começaram à meia-noite e foram até o fim do dia, com palestras sobre robótica, casemods, makers entre outros. Às 19h aconteceu a premiação dos desafios Campeonato de Casemod e Oficina de Chão. A programação tecnológica fechou com a palestra “Queremos abrir um hackerspace agora?”, ministrada pela Kamila Camilo. 


EDUCAÇÃO

As palestras na área da Educação começaram cedo. Às 10h30 aconteceu a conversa “print ‘(Você já leu/escreveu algoritmos com uma criança hoje?)’ ”, ministrada por Soraya Roberta. Toda a apresentação foi construída por meio da linguagem de algoritmos, a começar pelo nome, com o intuito de mostrar o trabalho desenvolvido pela Poesia Compilada. O projeto de pesquisa da UFRN tem como objetivo usar a literatura para ensinar programação para crianças de escolas públicas. Lá, elas criam seus próprios poemas em formato de algoritmos. 

Também no palco da Educação do Futuro, ocorreu a palestra “Inteligência Artificial aplicada à interação humano-robô” ministrada por Adam Moreira das 13h às 14h. Ele fez um apanhado geral do que vem sendo produzido na área da robótica no Brasil e no mundo, além de falar sobre o robô que está sendo produzido em seu projeto de doutorado. 

Das 15h às 17h aconteceu o workshop “Quantos prints são necessários para criarmos um poema?” como complemento da palestra das 10h30. Também ministrado pela Soraya Roberta, o workshop teve a função de trabalhar na prática os conceitos utilizados pelo Poesia Compilada. 

Workshop “Quantos prints são necessários para criarmos um poema?”. Foto: Equipe Grupert

Teve também o workshop “Hackeado brinquedos eletrônicos para construção de materiais acessíveis”, ministrada por Daiane Brasil e Lucas Dominique das 18h às 20h, no palco da Educação do Futuro. Nela, os participantes reaproveitaram brinquedos eletrônicos para a construção de novos com funções pedagógicas. O objetivo foi criar, através do hacker, brinquedos que melhorem a assimilação de conteúdo por parte das crianças.


ASTRONOMIA

O destaque da área ficou com a palestra “O céu não é o limite” de Marcos Palhares, que para motivacionar o público a explorar o espaço, contou a própria história de quem foi atrás de conseguir chegar lá sendo um civil. Além disso, Marcos também mostrou os planos da empresa que é representante comercial, a Virgin Galactic, que pretende iniciar o voo civil ao espaço. 

No palco STEAM, a engenheira Maria Goretti Dantas falou sobre o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno e a interação com outra instituições internacionais na palestra “Cooperação Internacional do CLBI na Área Espacial”. 


OUTROS

No sábado, o estandes das Startups & Makers foram substituídos pelos do Campus Future, espaço dedicado à exposição de projetos acadêmicos universitários. Vinte iniciativas foram apresentadas ao público, desde trabalhos sobre robótica a Língua Brasileira de Sinais. As exposições iniciaram às 10h e fecharam às 20h. 

Às 12h, o palco Feel the Future recebeu a apresentação do “Não Ouvo”, podcast de humor e entretenimento comandado por Maurício Cid com a bancada composta por Luide Matos Jr, Igor Seco, Braian Rizzo e Fred Fagundes. Assim como na internet, a apresentação ao vivo seguiu a linha do improviso, o componentes da bancada interagiram sobre diversas temáticas incluindo interações com os campuseiros e com os eventos que ocorriam simultaneamente a apresentação. 

Não Ouvo agitou o início da tarde no Palco Feel the Future. Foto: Equipe Grupert

À tarde, o palco Coders & Makers apresentou a palestra “Explorando dados públicos”, ministrada por Rodrigo Santos, que mostrou novas projetos e ferramentas para analisar e estudar os dados disponibilizados na internet. 

Ainda no turno vespertino, o Feel the Future foi novamente centro de um público grande durante o discurso do presidente do Instituto Campus Party, o italiano Francesco Farrugia. Farrugia falou sobre a experiência Campus Party e sobre o projeto social voltado à educação tecnológica, Include. Também foram chamados os apoiadores da CP Natal: o Sebrae, a prefeitura de Parnamirim e o governador do estado, Robinson Faria. 


Francesco Farrugia. Foto: Equipe Grupert

A programação da tarde no Feel The Future foi encerrada com a palestra “Dados que salvam vidas e valem 100.000 de dólares”, apresentada pela jornalista Maria Paola de Salvo. Maria apresentou o projeto Grand Challenges Explorations, criado pela Fundação Bill & Melinda Gates no Brasil, e a nova chamada aberta à pesquisadores brasileiros para o projeto que visa estudar dados e propor melhorias no tratamento da saúde materna-infantil. 


Maria Paola de Salvo na palestra “Dados que salvam vidas e valem 100.000 de dólares”. Foto: Equipe Grupert

Às 19h30, Cid do Não Salvo voltou aos palcos para apresentar mais um show no auditório do Centro de Convenções. O espaço aberto ao público ficou lotado para acompanhar o produtor de conteúdo digital. Em sua apresentação, Cid falou sobre o Não Salvo, sobre suas experiências na internet e comentou sobre suas principais trollagens e memes, tudo isso com muito humor e ao melhor estilo que o consagrou como um dos maiores nomes da internet brasileira.

A palestra “Fake News- o Novo mal de uma sociedade conectada” foi coordenada por Aura Masda, Julio Pinheiro, Luiz Henrique Gomes e em parceria com Ricardo Araujo do jornal Tribuna do Norte que discutiram sobre as principais dificuldades que as Fake news trazem para a sociedade contemporânea atual.

Nenhum comentário