Novo

Primeiro debate entre candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte

Por Kamila Tuenia 

Debate na Band RN com os candidatos ao Governo do RN. Foto: Divulgação/Band RN

Ontem, quinta-feira (16), começou oficialmente o período de campanha eleitoral deste ano e, a partir de agora, os candidatos podem propagar e promover suas candidaturas. Foi para dar a largada que ocorreu o primeiro debate entre os oito candidatos à Governador(a) do Rio Grande do Norte promovido pela emissora Band RN: Brenno Queiroga (Solidariedade), Carlos Alberto (PSOL), Carlos Eduardo Alves (PDT), Dário Barbosa (PSTU), Fátima Bezerra (PT), Freitas Junior (Rede), Heró Bezerra (PRTB) e Robinson Faria (PSD).

O debate foi estruturado em cinco blocos, onde os candidatos fizeram perguntas entre si e responderam perguntas de telespectadores e jornalistas. Segurança pública e educação ficaram entre os temas mais comentados, sendo seguidas pelas questões relacionadas ao turismo, corrupção, saúde e saneamento. 

A discussão entre os candidatos à próxima gestão do Governo do Estado foi marcada por trocas de farpas, críticas e poucas falas propositivas. O atual governador, Robinson Faria, foi o alvo preferencial dos adversários, sendo bastante questionado quanto à sua gestão ainda em andamento. Candidato a reeleição, ele se concentrou em atacar os seus adversários mais bem colocados nas pesquisas: Fátima Bezerra e Carlos Eduardo Alves. 

Perguntada sobre o apoio do PT ao PSD nas últimas eleições, Fátima afirmou que, logo após ser eleito, Robinson “traiu” o projeto da aliança ao apoiar o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff e, por isso, o seu partido rompeu com a atual gestão. Fátima ressaltou seu trabalho pela educação, citando a expansão dos IFRNs e o Plano Estadual de Educação. A única mulher candidata ao pleito dentre os 8 nomes colocados foi quem teve as falas mais seguras e propositivas durante todas os blocos do debate. 

O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo, também foi muito questionado quanto a sua gestão na Capital do Estado. Acusado em quase todas as respostas de Robinson de ser o candidato das oligarquias, Alves afirmou que chegou até seu ponto atual na política com suas próprias pernas e ressaltou os feitos na prefeitura da cidade em suas gestões.

Ao ser perguntado sobre os investimentos em turismo, ele comentou que os investimentos culturais como o Carnaval em Natal foram cruciais para o crescimento do potencial turístico da cidade. “Eu acredito que uma cidade tem que ser boa primeiro para quem mora nela, e se ela é boa para quem mora nela, ela é muito boa para os turistas que a visitam”, comentou o candidato. 

A segurança pública, notoriamente, foi um dos assuntos mais abordados nas perguntas. O professor Carlos Alberto, candidato pelo PSOL, defendeu o investimento na investigação policial para solucionar os crimes do estado. Para ele, um dos grandes problemas da Segurança Pública é a impunidade causada pela falta de recursos para a Polícia Civil. 

A candidata petista aproveitou a oportunidade para ressaltar seu investimento de bancada para a segurança: “Este ano, a única emenda de bancada que eu tenho direito foi destinada a segurança pública”. 

Atacado por Freitas Junior (Rede) por ter se intitulado em sua última campanha como “O governador da segurança”, Robinson comentou que a segurança pública é mais que questão de policiamento. “É necessário que haja um conjunto de ações sociais intensivas, é muito fácil atacar a segurança e isso não é um problema do RN, é um problema brasileiro”, afirmou. 

Outro ponto bastante abordado foi a questão das contas atrasadas do estado, salários atrasados e greves frequentes de diversos setores marcam a atual gestão. Fátima, Carlos Alberto, Brenno Queiroga e Dário Barbosa destacaram em seus discursos uma Reforma Administrativa e o corte de cargos comissionados. Robinson afirma que pegou um estado quebrado: “Maia, Alves e Rosado faliram o Rio Grande do Norte, a minha gestão está pagando a conta”. 

De acordo com a última pesquisa do Instituto Consult, a senadora Fátima lidera com 26% das intenções de voto, seguida por Carlos Eduardo com 16% e Robinson Faria com 9%

Dos eleitores, 31% responderam que não votariam em nenhum candidato e 13% não souberam responder. 

Ainda de acordo com a pesquisa do IC, 74% dos entrevistados desaprovam a gestão de Robinson Faria. 

Outros destaques dos candidatos 

Fátima Bezerra: “Quando eleita governadora, irei recuperar a governabilidade e a credibilidade sem gastar mais do que se arrecada. Os estados governados pelo PT também enfrentaram a crise e estão de pé seguindo e pagando suas contas em dia, não estão o caos que o RN está”. 

Brenno Queiroga: “A nossa rede de ensino está totalmente sucateada, as escolas não são atrativas pros alunos. No nosso governo iremos usar da tecnologia, implementar o ensino integral e reforçar o espírito de empreendedorismo para o estudante recuperar o seu desejo de ir a escola e de conseguir um emprego”. 

Heró Bezerra: “Vou falar com Bolsonaro para me ajudar a fechar as fronteiras, ajudando o governo estadual com destacamento em uma operação já denominada elefante seguro”. 

Robinson Faria: “A constituição federal pede 9,5 da receita para investimentos em segurança, o nosso governo investe 15%. A crise de segurança é um problema de todo o Brasil, não só do RN”. 

Carlos Alberto: “Nossa política de estado será a educação, nós temos que reduzir orçamentos para focar na educação, principalmente na educação e tempo integral e em creches para todas as crianças”. 


O debate pode ser conferido na íntegra através do canal da Band Jornalismo no YouTube: 

Nenhum comentário